segunda-feira, 4 de abril de 2016

Relato de uma sobrevivente dos "encontros com deus"




Durante muitos dias a igreja a qual eu participava foi fortemente inundada e bombardeada pela frase “O Encontro é Tremendo”. Pessoas que haviam participado de encontros anteriores, juntamente com o pastor faziam questão de declarar exaustivamente essas palavras com intuito de levar o maior número de pessoas a participar do mesmo.

Eu como líder de ministério, integrante do grupo de louvor, professora de escola bíblica dominical, era obrigada a participar, pois tinha que dar “Exemplo.”

A promessa de um encontro face a face com Deus aumentava as expectativas de todos, inclusive a minha, o segredo quanto o conteúdo era guardado a sete chaves, o que tornava mais atraente.

Foi necessário passar pelo Pré Encontro com o objetivo de levar-nos a conhecer nossa realidade espiritual, nosso estado de pecador e a condição de sermos filhos de Deus em Cristo Jesus.
Foi pedido nesse dia, total sigilo sobre tudo o que veríamos e ouviríamos a partir daquele momento.

Chegou o dia do tão exaltado encontro. Saímos em uma sexta a noite rumo a uma chácara, todos ansiosos e animados para vivenciar aquele momento. Chegando lá fomos encaminhados a um auditório para recebermos a primeira ministração. Fomos levados a Peniel, “lugar de silêncio”, baseado no texto de Geneses 32:30. Peniel foi o nome dado por Jaco ao lugar onde ele encontrou com Deus e passou a ser Israel.

A partir daquele momento foi proibido conversar com qualquer pessoa que não fosse da equipe de apoio. Uma música suave ao fundo, fomos levados a entender que receberíamos um novo nome, que assim como Jacó, levaríamos o nome de Israel de Deus. Após a ministração fomos liberados a deixar o auditório e buscar um lugar para ficarmos a sós com Deus, pois devíamos lutar com Deus por nossa benção, houve muito choro.

No sábado pela manhã a ministração foi sobre o Encontro, a importância e a necessidade de estarmos separdos de tudo e de todos, um privilégio ímpar para renovação de nossas mentes e coração assim obtendo força em Cristo.

Próxima ministração foi sobre Libertação (quebra de maldição), começa com a afirmação que o crente pode ter atitude “demonizada”, com base em Efésios 4:27. O preletor falou sobre o surgimento das maldições, referindo-se a maldições hereditárias, quais deviamos renunciar e quebrar, não importando se elas entraram através dos pais, avós ou bisavós.
Em outro momento foi falado quando a postura no encontro e após ele.

Ao cair da tarde a Preletora seguinte palestrou sobre Cura Interior, foi explicado a diferença entre corpo, alma e espírito, onde ela afirma que é na alma que reside todas feridas e traumas. Foi dito que para ser curado eram necessário dois passos: romper com o domínio de satanás, tomando posse daquilo que já era nosso, e receber a cura de lembranças passadas. Houve muito choro nesse momento, fomos levados a desenterrar todos os detalhes mais sórdidos, desentulhar todo lixo que um dia fora jogado fora de nossas vidas. Foi uma espécie de regressão, onde as luzes foram apagadas, havia uma música suave ao fundo, ouvia-se a voz da preletora nos direcionando a voltar no ventre de nossas mães, e viver cada fase de nossas vidas, visualizando cada momento mais difícil, amargo e traumatizante que havíamos vividos, pois deveríamos liberar perdão, perdoar e nos perdoar. Em seguida foi ministrado a unção com óleo onde todos caíram, muitos vomitaram e logo após foi a vez de pregar sobre o Batismo do Espírito Santo, sobre a sua importância, oramos juntamente com uma pessoa da equipe de apoio e intercessão, e muitos foram obrigados a falar em línguas, a pessoa que orava comigo, falava: “abre a boca, fala, porque você resiste, você precisa receber”, me senti acuada e coagida. Foi surreal!

A última ministração da noite, fomos levados a sentir o que Jesus sentiu em sua crucificação, também com a luz apagada, um vídeo da via dolorosa de Cristo ao fundo, o preletor nos pediu para abrir nossos braços e sentir o peso da Cruz, o peso de nossos pecados sobre Jesus, sentir o sangue de Cristo cair sobre nós, foi momento de muita dor, foram 20 minutos de tortura, pois psicologicamente fomos abalados por cada palavra que saia da boca daquele pastor.

Após esse tempo nos foi entregue papel e caneta, e recebemos a orientação de escrever cada pecado oculto que necessitava de perdão, em seguida fomos encaminhados a uma grande fogueira onde esses foram queimados, e quando lançado na fogueira, deveríamos dizer a seguinte frase: “Estão anulados todos os argumentos sobre a minha vida.” Daí por diante foi momento de festa e alegria, pois todos haviam tido seu encontro pessoal com Deus, todos os nossos pecados haviam sido perdoados, agora éramos Israel de Deus.

Foi mantido o silêncio até o fim da tarde de domingo. Na manhã de domingo houve palestras direcionadas e específicas para mulheres, homens e jovens, ouve tempo de oração e intercessão e para finalizar, uma apresentação de teatro com o objetivo de levar cada participante a não pecar mais, por meio do medo. Pois quando menos esperávamos apareceu um Capetão no meio da platéia causando medo e pânico a muitos.

Voltamos para igreja para participa do culto, fomos recebidos por nossos familiares e irmãos em Cristo. O pastor chamou cada um dos participantes a frente para relatar como tinha sido o encontro, mas todos sem exceção usaram a mesma frase para descrever o momento “O Encontro foi Tremendo”.

O Pós Encontro foi a consolidação do encontro. Foi enfatizado a obediência, submissão e a necessidade da cobertura espiritual de nosso pastor, uma vez que essa era a nossa legalidade contra satanás, segundo a Pastora ministrante.
Conclusão: Para mim tudo estava normal, me sentia renovada, pois eu havia tido o meu encontro pessoal com Deus. Mas Deus abriu os meus olhos para o quanto eu fui ingênua, ignorante e cega quanto as distorções bíblicas e enganos sutis que foram implantados tanto em minha mente, como na mente dos outros irmãos.

A Graça Maravilhosa de Deus me alcançou, Deus me tirou desse mundo de engano e me trouxe luz. Que Ele possa alcançar meus irmãos que ainda se encontram cegos e perdidos.

#sola

10 comentários:

  1. Brutal o seu depoimento, descrição com riquezas de detalhes, ainda bem que eu estive em um encontro deste, mas não fiz absolutamente nada do que os outros fizeram, comecei a lembrar de pregações que ouvi de um pastor que dizia que a cruz é suficiente, a palavra é suficiente. E a passagem de levítico "Verei diferença ente os santo e o Profano. Quando eu disse que não ia participar, disseram:Se você não tem fé? Eu disse: A cruz é suficiente, a palvra é suficiente. Ainda disseram, a bíblia não diz para não fazer, respondi: E onde diz que eu posso fazer? Na hora parecia que eu era rebelde, mas senti uma felicidade muito grande em não ter participado, depois disso não conseguir estar mais nesta igreja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A grande verdade Eva é que esses encontros servem apenas para consolidar o "número" de pessoas novas ao grupo da igreja e solidificar a 'cobertura espiritual' do pastor ou da liderança na pessoa. Em meados dos anos 90 eu participei de diversos "encontros" antes desse lixo de MDA/G12, mas já havia uma grande contaminação através da confissão positiva (teologia da prosperidade) e as atrocidades do "mover" do espirito, unções do riso, dentes de ouro, tudo isso era corriqueiro lá, mas louvo a Deus por ter aberto meus olhos

      Excluir
    2. Em uma Igreja onde fui membro e participei desse tipo de encontro que o nome foi mudado para BETEL, e tem a maioria desses eventos citados pela irmã.Lembro me de uma parte onde voce deveria conversar com um dos pastores como se fosse seu pai e sua mãe e contar sua vida pra eles e acredito que fui o UNICO que não conversou e na parte de cura interior eu não aguentei de sono e acabei dormindo na metade da palestra.
      Depois desta eu não fui mais em nenhum dos encontros BETEL de minha ex igreja.Graças a Deus que seus olhos foram abertos depois para entender que a CRUZ e a PALAVRA são suficientes.

      Excluir
  2. Está acontecendo algo incrível com algumas pessoas, igual a nós. Meus olhos também foram abertos, mas antes eu fazia essas coisas, mas sempre sentia dentro de mim um ar de erro, e nunca me adaptei a tais coisas. Eu me sinto um jovem separado dos outros, e acho que vcs também sentem isso. Antigamente eu não gostava de ler, então o primeiro livro que eu nunca mais parei de ler , foi as escrituras sagradas , então descobrir as verdades, e o Espírito da verdade me guia, consigo entender tudo que leio, e não me canso de repetir a leitura... Eu e vocês que comentaram acima temos algo em comum, somos escolhidos, eleitos na verdade do evangelho. Eu nunca gostei de obedecer " pastores", pois o meu verdadeiro pastor diz: As minhas ovelhas me escutam, e conhecem a minha voz, e não seguem os estranhos.... Deus abençoe vocês amados irmãos, vamos seguir somente as escrituras.

    ResponderExcluir
  3. Nossa isso é incrível! Por 6 de caminhada com Cristo achei que o meu "encontro" com Deus foi único e tremendo, ao ler esse artigo e os comentários pude perceber o quão fui manipulada desde o dia do encontro até o dia que eu decidi sair da igreja. Sinto uma pequena dor, agora lembrando de tudo o que aconteceu. Fui muito coagida na igreja e muitas vezes excluída por não ter dinheiro e não aceitar fazer coisas que todo mundo fazia. A igreja por si dizia que defendia a família, mas foi a maior causadora de contendas entre mim e minha família pois se eu não estivesse nas reuniões que eles faziam (quase todo dia) eu não era uma líder exemplo é nem estaria apta para liderar. Para ressaltar, as reuniões praticamente falando terminavam 2H da manhã! Meu pai sempre brigava comigo por causa do horário e por ele ter que sair da cama dele para ir me pegar na igreja, pois muitas vezes os líderes não podiam levar... Foram 4 anos de tortura psicológica. Hoje quem sai da igreja e é transformado pela renovação da mente eles chamam de "equivocado".

    ResponderExcluir
  4. Me indentifiquei muito com o post, pois meu encontro ocorreu logo quando eu estava "verde" eu achava maravilhoso,e queria ir novamente, porèm graças a GRAÇA hoje não tenho mais esse desejo e vejo que è um movimento herético que traz plures práticas de plures segmentos quais não são de cristo.
    Jesus nos iluminou o louve-mos.

    ResponderExcluir
  5. Me indentifiquei muito com o post, pois meu encontro ocorreu logo quando eu estava "verde" eu achava maravilhoso,e queria ir novamente, porèm graças a GRAÇA hoje não tenho mais esse desejo e vejo que è um movimento herético que traz plures práticas de plures segmentos quais não são de cristo.
    Jesus nos iluminou o louve-mos.

    ResponderExcluir
  6. Só queria saber quantas almas alguém aqui já ganhou para Deus? Pois a Bíblia fala que desde que fale de Deus não importa de que boca esteja saindo.

    ResponderExcluir
  7. Filipenses 1:15-18:
    “Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade; estes, por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho; aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulação às minhas cadeias. Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei” (Fp 1:15-18).

    ResponderExcluir
  8. Cada um com suas opinião ! Eu sou do ministério apostólico peniel ! Cada um conforme a sua fé ! Eu não vou pro encontro com Deus por causa de líder e nem por causa de pasto ! E nem por causa de igreja ! Eu vou por que eu me aproximo mais e mais de Deus ! Nem toda igreja e igual ! Nem todo Encontro e igual ao outro ! Temos que tata em uma igreja por Deus e não por pasto nem por amigos ! Entao o que tenho pra fala pra VCS ! E que VC seguem JESUS ! E NAO HOMENS . Eu jamais vou seguir homens dessa terra ! Eu tou na igreja ou no encontro por causa de Deus . tudo por causa de Deus .

    ResponderExcluir