quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Você sabe reconhecer seu erro?




Sai dia entra dia e uma velha máxima ainda persiste, o orgulho. Como pode cristão professos sinceros não amar seu próximo? Como pessoas de uma mesma congregação mal se cumprimentarem? 

Questões como essas ecoam sobre minha cabeça sempre que vejo o comportamento hipócrita e orgulhoso em mim mesmo e até mesmo em meu irmão.

Mas meditando na palavra descobri uma coisa essencial neste processo de amar, de se doar ao outro e também renunciar a algumas coisas: O orgulho!

Ele na maioria das vezes nos cega de nosso próprio erro, de nossa condição depravada e imunda e de regeneração. Você pode pensar assim, "eu não sou orgulhoso", ou "eu amo meu próximo", mas como exemplifiquei se o irmão que senta lá no último banco não lhe ao menos cumprimentar você não vai até ele, ou se um irmão se reclusa nunca o procura para lhe pelo menos estender a mão.


Poderia dar inúmeros exemplos, mas deixo para sua auto-reflexão, mas sem uma consciência e lucidez seriam  palavras vazias e desprovidas  de empregabilidade prática.

Saiba reconhecer que é pecador e necessita nascer de novo e veja que precisa renovar sua mente.

A Palavra nos orienta sobre este auto-exame: "Examine-se, pois, o homem a si mesmo" 1 Coríntios 11:28A

Jesus foi um grande opositor da hipocrisia,  ela na verdade cega a pessoa a se auto-avaliar, desprezando sua condição e  seu amor ao fazer qualquer coisa  que seja a um terceiro.

Não estou dizendo que não podemos julgar, por favor não é isso, não sou um defensor do movimento do "não-julgueis", apenas quero lhe elucidar sobre a condição de faze-lo, que é com Amor, sinceridade  e retidão (João 7:24).

Ore comigo e peça que o Pai nos  afaste de todo orgulho, toda soberba de toda falta de amor, e tudo que possa nos impossibilitar de enxergar a graça maravilhosa que nos livra de todo engano e pecado.

Graça e Paz




2 comentários: