quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

ESTUDO BÍBLICO - EVANGELHO DE JOÃO - CAPÍTULO 11




"A ressurreição de Lázaro"

 Esse milagre sem dúvida é um marco muito importante na fé cristã, apenas João escreveu a cerca dele, nenhum dos outros Evangelhos sinóticos falaram sobre tal milagre de Cristo. Seis Milagres foram apresentados até agora mas esse sem dúvida foi o mais incisivo de todos, porque essa ressurreição ocorreu depois de quatro dias na sepultura, sendo que o processo de decomposição já estava em andamento.

João com seu muito amor narra a história a fim de demonstrar que Jesus era mesmo filho de Deus que tinha poder sobre a morte!

Acompanhe com sua Bíblia, caderno e caneta: vamos lá.



Versículos.1-3

Nessa leitura podemos ver que uma enfermidade tinha vindo sobre Lázaro, irmão de Marta e Maria, as mesmas que receberam Jesus em casa e apenas Maria ouviu seus ensinamentos porque Marta cuidava dos afazeres domésticos (Lucas 10: 38-42). Maria é a mesma que ungiu os pés de Jesus e enxugou com seus com seus cabelos (João 12: 1-8).

Enfim, elas buscavam avisar a Jesus que Lázaro estava doente - Jesus estava na Tansjordânia e Lázaro morava perto de Jerusalém. A mensagem enviada a Jesus muito provavelmente levou um dia inteiro para chegar a ele. Certamente, por onisciência, Jesus já sabia das condições de Lázaro.

"Aquele á quem amas" e a frase utilizada para indicar o quão profunda era a amizade que Jesus tinha com Lázaro.

Versiculos.4-7

Esse verso 4 é poderoso em palavras "esta enfermidade não é para morte mas para glória de Deus a fim de que por ela o filho de Deus seja glorificado" . Jesus já sabia que haveria cura e restauração e mesmo sabendo da gravidade da situação, demorou dois dias onde estava. O motivo? Operaro impossível diante da morte!!!!

Pro desespero dos discípulos, Jesus os chama de volta à Judeia mas eles temiam a morte porque sabiam que o sinédrio procurava matá-los devido ao grande número de sinais miraculosos diante do povo (veja a nota nos versos 47-48).

Versiculos.9-10

A parábola contada por Jesus ensina que, durante o dia, todos trabalhavam porque era seguro, havia luz do sol; mas à noite todos se recolhiam por conta da escuridão, só andavam na noite os soldados e saqueadores. Devido ao perigo, ninguém trabalhava à noite pela dificuldade em andar sem tropeçar. Mas as palavras de Jesus refletiam ali um significado maior: enquanto o filho realizava a vontade do pai, ou seja, durante a luz do seu ministério, tudo daria certo e eles estaria seguros para trabalhar, mas chegaria o dia que em que a noite seria real, quando seu propósito na terra estivesse cumprido e ele tropeçaria na morte. , não que esse não seja um plano do senhor também...Ou seja, nenhum mal os atingiria porque estavam cumprindo a vontade de Deus e a Luz estava com eles.


Versículos.11-14


Aqui podemos encontrar uma revelação importante sobre o conhecimento da morte: O próprio Jesus define a morte como um estagio de sono. Ou seja, os mortos apenas dormem, aguardando a ressurreição.  Os discípulos, sem compreender, falam:

"Senhor, se dorme, está salvo" sendo que esse sono era a morte, mas eles entendiam como um descanso! Mas toda a duvida é tirada na resposta clara de Jesus: "Lázaro  morreu".

As palavras de incredulidade de Tomé afirmam também sua lealdade e disposição até a morte. Esse pessimismo a respeito do fato demostra também a disponibilidade dele estar ao lado de Jesus mesmo que fosse para morrer.

João relata então que há quatro dias Lázaro havia sido sepultado, e que muitos dos judeus foram prestar condolências a Marta e Maria... A presença desses judeus era importante ali para testemunhar aquele milagre, sendo que eram os judeus quem perseguiam o ministério de Jesus, chamando-o de blasfemo junto aos seus discípulos.


Curiosidades:  A sepultura era de pedra, comum em Israel, feita em uma caverna ou uma rocha escavada. No piso interno eram feitos degraus e prateleiras para outros membros da familia. Uma pedra era rolada para selar a entrada, afim de evitar animais e ladrões.

O fato de João fazer questão de mencionar os dias que Lázaro jazia morto serve de parâmetro para entender que, como não embalsamavam  o cadáver, a essa altura já estaria em decomposição avançada.

As palavras de Marta no verso 21 não soam como uma repreensão mas um testemunho da confiança que ela tinha no poder de Jesus de curar a enfermidade. Ela demostra maior fé no v. 22 dizendo crer que mesmo naquela altura se ele pedisse a Deus, Deus certamente concederia a vida ao irmão l. Jesus consola afirmando que ele resurgiria dos mortos. Marta, mesmo com fé, não podia entender que o milagre estava prestes a acontecer, achava que a ressurreição era no último dia.

v.25 "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crer em mim ainda que morra viverá"

Essa é a quinta de uma serie de sete grandes afirmações EU SOU de Jesus, (veja Jo 6:358:12, 10:7-14).

Quando Jesus disse "Eu Sou", provavelmente escandalizou os judeus que ali estavam. Até os dias de hoje os judeus não pronunciam o verbo SER no primeiro nome do singular, em reverência ao grande EU SOU, nome de Deus falado a Moisés em Ex.3:14.
Não sabiam eles que Jesus tinha autoridade pra isso, desde que Ele e o Pai são Um, e ele é o autor da vida.

Com essa afirmação, Jesus levou Marta de sua fé abstrata na ressurreição no ultimo dia (jo 5. 28-29) Para uma fé confiante nele, pois somente ele poderia ressurgir um morto.

Versículos.28-32

Marta, por não querer que todos soubessem que Jesus estava ali, avisa a Maria em particular sobre a chegada do Mestre. Maria corre até a presença de Jesus e é seguida pelos judeus que a viram sair depressa, pensaram que ela estava indo chorar no túmulo do irmão.
Aos pés de Jesus, ela se lança com as mesmas palavra de Marta, mas Jesus entende o desespero de Maria e sua reverência a ele.

Versículos.33-35

"Agitou-se o espirito e comoveu-se". A frase aqui não significa simplesmente que Jesus fora tocado por uma tristeza. O termo grego "agitou-se" sempre sugere a raiva, ira ou indignação - você pode ver em (MT 9:30, MC 1:43 e 14:4-5). Jesus estava irado diante do lamento emocional do povo, que revelava a descrença deles no filho de Deus e no poder de Deus para ressuscitar alguém.



"Jesus Chorou".

Essas lágrimas não foram geradas pelo luto, pois ele estava ali para ressuscitar Lázaro; essas lágrimas eram uma demostração de dor em ver o quão descrentes eram aquelas pessoas e como viviam num mundo caído. Deus demostrava sua tristeza em ver a sentença que estava sobre os homens após a queda, pois o salario do pecado é a morte.



Versículos.36-40


Os Judeus, movidos pelo emocionalismo, achavam que ele chorava por amar demais o seu amigo.

Surge então o questionamento dos judeus: " não podia ele que abriu os olhos do cego, fazer com que este não morresse?" - eles achavam que ele podia apenas curar enfermidades. Não tinham noção de que ele era capaz de operar qualquer tipo de milagre e que ele não havia chamegado atrasado: mesmo Lázaro estando morto há dias poderia ser alvo do milagre do Senhor.

Irado com o que ouvia, Jesus foi à entrada da sepultura onde tinham posto uma pedra.




"Tirai a Pedra". Essa frase ecoou nos púlpitos cristãos ao longo dos séculos, onde os ministrantes dizem que essa pedra representa a incredulidade, medo, religiosidade, dúvida , problemas familiares ou financeiros...Não há nada com que possamos simbolizar essa pedra, espiritualizar essa pedra é dramático demais...O milagre aqui é ressuscitar Lázaro...

Bem, essa pedra foi posta à porta do sepulcro porque este era o costume dos judeus ao enterrarem seus mortos! Se o milagre fosse nos dias de hoje Jesus teria dito " removeis a terra" ou "abram a cripta".

"-Senhor já cheira mal, porque já é de quatro dias".

Para Marta , aquela pedra servia para impedir a saída do mau cheio, a indagação de quatro dias significava a decomposição que o corpo já se encontrava. Afinal, ela também já não espera por um milagre naquele momento (isso não significava que ela havia deixado de crer).

Versículos.41-46

Os que ali estavam retiraram a pedra da porta do sepulcro onde o corpo de Lázaro estava e, Jesus levantando os olhos para cima, disse: - “Pai, graças te dou, por me haveres ouvido. Eu bem sei que sempre me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que tu me enviaste”.

A oração de Cristo ao Pai não foi o elemento catalizador do milagre. A oração só foi feita por causa da multidão e com um propósito bem definido: para que cressem que ele era o Messias o enviado de Deus.

E a Certeza ele era óbvia : - “Eu bem sei que sempre me ouves”, portanto, vale lembrar que a confiança não decorre da oração, antes a oração serve para expressar a confiança naquEle que é fiel. A fidelidade de Deus é o motivo da oração, daí é que vem o agradecimento "graças te dou" e a confiança expressa "bem sei que sempre me ouves".

Após a ordem para tirarem a pedra da porta da sepultura, clamou em alta voz: - “Lázaro, sai para fora” ( Jo 11:43 ).




Diante da ordem, Lázaro saiu ainda com as mãos e os pés enrolados com faixas e o rosto envolto em um lençol. (Como os judeus faziam, ele não foi amarrado fortemente, como as múmias nos Egito eram enroladas, se não Lázaro não teria levantado e andando) Novamente Jesus fala aos que ali estava: - “Desatai-o, e deixai-o ir”. Agora livre, um salto da morte para a vida!

Isso me faz lembrar de Paulo relatando aos  Coríntios "Onde esta, ó morte, o teu aguilhão? Onde está , ó inferno, a tua vitoria? Tragada foi a morte na vitória”
(I Co 15:55,56).

A morte foi vencida, a morte foi tragada pela vitória. A Bíblia diz que Jesus Cristo arrancou o aguilhão da morte, o seu veneno. E Cristo venceu a morte com a sua morte, ressuscitando dentre os mortos. Agora a morte não tem mais a última palavra, porque a morte foi vencida e foi derrotada, porque Jesus venceu a morte, erguendo-se dentre os mortos como primícia de todos os que dormem.

Gostaria de relembrar, ainda, que muitas vezes a palavra “dormir” foi usada para descrever a morte. Quando Jesus viu a filha de Jairo, ele disse: “Ela está dormindo”.
 Ele disse aos discípulos que Lázaro estava dormindo e que estava indo até lá para acordá-lo (v. 11). Como vimos no inicio do estudo!


A morte para o cristão 



O sono natural é normal e é por isso ninguém chama os paramédicos quando você se deita para tirar uma soneca. Morte, para o crente, é como se deitar para um cochilo, por um bom tempo. O corpo pode dormir por muitos anos, de fato, mas no final ele irá acordar. Quando Jesus ressuscitou Lázaro, aquilo era apenas uma amostra do que ele irá fazer para o seu povo quando ele retornar à Terra.

A resposta para a morte não é uma ressurreição. É o próprio Jesus. “Eu sou a ressurreição e a vida”. Ninguém pode ter a esperança de escapar da morte, a menos que esteja relacionado com Jesus por meio de uma fé pessoal.

Porque aquele que crê em Jesus ainda que morra viverá!!


Obrigada por participar de mais um dos nossos estudos, acompanhe os próximos, se gostar compartilhe. Deus te abençoe!

11 comentários:

  1. para mim foi bençao pura me ajudou muinto obrigada apaz

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, que DEUS continui usando vocês irmãos ❤

    ResponderExcluir
  3. Muito bom q Deus continue abençoando e usando a cada um de vc's.🙏🤗

    ResponderExcluir
  4. Demais, q nosso Deus continue abençoando vcs, a palavra de Deus é o alimento para nossa vida

    ResponderExcluir
  5. gloria a DEUS que estudo edificante me sinto tao alimentada pela palavra de DEUS obrigado que o poderoso DEUS vos abençoe poderosamente em nome de JESUS

    ResponderExcluir